quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Feia



“Deixa eu ver o teu rosto”, ele pediu.
Tentava trazê-la para fora da sombra. Tentava iluminar a face pela qual já se considerava apaixonado, embora só a tivesse visto através de fotos na internet.
Ela, porém, não se moveu.
“Vem”, ele insistiu, com a impaciência própria dos jovens. Puxou-a, e de tão entusiasmado acabou abrindo mão da delicadeza.
Então ela cedeu. Involuntariamente. Bruscamente. Quatro, cinco passos e estavam os dois na luz.
Ele recuou. Recuou e soltou-lhe as mãos, achando-as agora frias e enrugadas. Ao olhar para ela, o susto foi maior do que a elegância, e naquele instante não havia nada que o fizesse calar o grito.
Quis dizer que ela era feia. Mas o adjetivo lhe pareceu insuficiente.
“O que é você?”, ele perguntou, cheio de aspereza e indignação, enquanto ela retornava humilhada para a sombra. “O que é você e o que pensa que eu sou?”
Após o susto, veio a raiva. Sentiu que havia sido enganado. Mais do que isso, agredido. Tanto que os punhos imediatamente se fecharam, o sangue lhe subiu à cabeça e ele a esmurrou.

*

Dois anos depois, estavam casados e ela esperava o segundo filho. Os amigos, os que o conheciam bem, viviam a se perguntar o que possuía aquela mulher que conseguira conquista-lo. Logo ele, que só saía com modelos de capas de revista. Ela havia conseguido um milagre.

Ele quase não falava mais. Um meio sorriso permanentemente estampado no rosto e um olhar perdido marcariam a sua expressão dali por diante.
Para todos, um sinal de felicidade. Quem conseguisse passar mais tempo com ele, no entanto, não deixaria de notar os pequenos tremores, no rosto e no corpo.
Também não passaria em branco a completa incapacidade de fechar as mãos.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

A nova capa de O ADVERSÁRIO

 

Esta é a nova capa de O ADVERSÁRIO. Presente da caríssima Rebecca Frassetto, o livro ganhou também uma nova edição, que você pode conferir no Portal dos Livreiros ou diretamente com o autor, pelo email oadversario.romance@gmail.com. Vai deixar o Casemiro esperando?



 

terça-feira, 27 de junho de 2017

O TERRAÇO E A CAVERNA - Booktrailer

Realizado pela equipe da Reversa Web Rádio, o booktrailer de O TERRAÇO E A CAVERNA já está disponível no YouTube. Confira, divulgue.



segunda-feira, 26 de junho de 2017

O TERRAÇO E A CAVERNA na Arca Literária


Capitaneado pela baiana Ceiça Carvalho, o site Arca Literária é mais um local voltado à propagação da cultura literária que publicou uma resenha sobre O TERRAÇO E A CAVERNA. Quem escreveu a resenha foi o colaborador do site Renato Neres que, embora não tenha gostado do final, elogiou o livro, como pode ser visto em suas próprias palavras:

Foi uma leitura gratificante. Gostosa. Em certos momentos eu fui tomado pela emoção. (...) É uma narrativa belíssima.




quinta-feira, 22 de junho de 2017

A velha doceira


Todos os anos, em 26 de setembro, dia de Cosme e Damião, ela enchia a grande sacola preta com os doces preparados na véspera.

            Então ela saía pelas ruas e as crianças a cercavam.

            Pequenos selvagens. Mini monstros que tomavam de suas mãos de velha o pacotinho com cocada, suspiro, brigadeiro e cajuzinho, e corriam afoitos, sem nem dizer obrigado.

           Diziam que só no fim da tarde ela voltava para casa. Tarefa cumprida, a grande sacola preta vazia. Então, exausta e suada, a velha desabava no sofá da pequena sala e, olhando a sacola que ainda mantinha nas mãos, ria.

            Passados dois dias, as crianças começavam a adoecer.

        Algumas   eram levadas às emergências dos hospitais. Outras, não sobreviviam tanto tempo. 

            No meio da revolta e da tristeza da sociedade, sempre havia alguém que desconfiava dos doces. E ia investigar-lhes a procedência. Quem conseguia, porém, chegar até a casa da velha doceira, encontrava apenas um imóvel vazio, triste, abandonado para a poeira e o silêncio. Como se daquele jeito estivesse desde sempre.

            Eu vi a velha uma vez, quando criança, num dia de Cosme e Damião. Não peguei os pacotinhos fatais, por causa de uma dor de barriga que levara minha mãe a me proibir de comer doces por um tempo. Escapei de morrer, mas até hoje essa senhora diabólica me aparece à noite, frequentando sinuosa os meus pesadelos.



quarta-feira, 24 de maio de 2017

O TERRAÇO E A CAVERNA no Livro Lab

O Livro Lab é o simpático lugar que a simpática Aline TKM criou para falar de suas paixões. Lá pode-se encontrar comentários, resenhas, dicas e informações sobre literatura, filmes, moda, estilo e viagens. Pois a Aline leu O TERRAÇO E A CAVERNA, e fez uma resenha em vídeo dizendo o que achou. Confira:

 





segunda-feira, 22 de maio de 2017

Entrevista para a Geração Bookaholic


"Revista literáriamais completa  do Brasil", a Geração Bookaholic é uma publicação mensal eletrônica voltada inteiramente à literatura. Com seções exclusivas, artigos, reportagens e entrevistas, ela traz neste mês de maio uma entrevista com este que vos escreve. Realizada por Roberta Costa, a entrevista abordou principalmente O ADVERSÁRIO, mas também tratou de Taras, Fobias & Contas a Pagar, de O Terraço e a Caverna e até do falecido grupo Filmantes.

O site da Geração Bookaholic está localizado em http://geracaobookaholic.blogspot.com.br/, e a edição de maio está em https://issuu.com/revistageracaobookaholic/docs/geracao_bookaholic_-_edicao_06_-_co. A entrevista está na página 7.


sexta-feira, 19 de maio de 2017

O TERRAÇO E A CAVERNA no Postando Trechos


Brenda Sousa, do blog Postando Trechos, postou essa bela imagem de divulgação de O TERRAÇO E A CAVERNA. Muito obrigado, Brenda.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

O TERRAÇO E A CAVERNA


Era uma vez uma menina chamada Quinha.

Quinha vivia com os pais, o irmão e o avô numa cobertura na Zona Sul do Rio de Janeiro. A casa de Quinha era grande, luxuosa e colorida. Os pais de Quinha a amavam e não conheciam qualquer dificuldade financeira.
Mas, apesar de tudo, Quinha não era feliz. Com apenas 11 anos de idade, a menina sofria a Síndrome das Pessoas Inexistentes, moléstia semelhante ao autismo, que a fazia viver num mundo sem pessoas. Quinha não enxergava os seres humanos com quem convivia. Seu universo era feito de lugares vazios. Apenas a internet possibilitava alguma comunicação com os outros, que para ela não passavam de personagens numa tela.
Longe dali, havia Paco.
Preso a uma cadeira de rodas, vivendo com a família numa estação abandonada do metrô (foram expulsos da comunidade onde moravam pelo chefe local do tráfico), Paco vê os dias passarem diante do computador que o pai roubou. Nas redes sociais, seu perfil é cheio de revolta, amargura e insatisfação.
Até aquele dia em que, na rede, uma menina tímida, de nome Quinha, atraiu a sua curiosidade.
*
O TERRAÇO E A CAVERNA é meu terceiro romance . Um romance com crianças e poesia. É uma fantasia urbana em que a ação, mais do que fora, ocorre dentro da cabeça da protagonista. No mundo particular por onde transita a pequena Quinha, um gato pode não apenas falar e voar, mas nos levar a lugares repletos de estranheza. Construídos com o mesmo material instável, provocante e ameaçador que encontramos nos sonhos. A imaginação, principalmente a de uma criança, é imprevisível e pode tudo.
Mas o romance é também a história de Paco. Da realidade sólida e de gosto amargo que a fantasia de Quinha procura evitar. Na caverna em que se instalou com a família, Paco externa seus pensamentos, quase sempre hostis, contra um inimigo que ele acha que está em todos os lugares e em todas as pessoas. No entanto, ainda há uma criança dentro das mensagens lançadas como golpes, como armas. Uma criança que a agressividade do mundo não destruiu.
Um encontro entre essas duas crianças, de mundos tão diferentes, seria improvável. Mas isto não é empecilho para o destino.
*
O livro foi premiado em concurso literário promovido pela Fundação Cultural do Estado do Pará, e por enquanto só pode ser adquirido, ao preço de R$ 26,00 (frete incluso), diretamente com o autor, através do email oadversario.romance@gmail.com.



quarta-feira, 12 de abril de 2017

O ADVERSÁRIO no Livros e Opinião


Jornalista e radialista, José Antônio é um apaixonado por literatura que decidiu expressar esta paixão num blog. Livros e Opinião é o resultado, e lá ele vem colocando as opiniões e emoções despertadas pelas leituras que, nas palavras dele, é como embarcar "numa viagem fantástica, a qual não quero que termine nunca".

Pois José Antônio também leu O ADVERSÁRIO, e escreveu um simpático texto sobre ele. Abaixo segue um trecho, mas a íntegra da resenha você encontra aqui.

"Li rapidinho. Acho que em três dias já tinha terminado as 219 páginas. E quando lemos uma história em poucos dias é porque ela nos agradou (...) O enredo prende a atenção, principalmente enquanto o autor explora o 'lance' do terror psicológico. Prende mesmo."

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Papel



O menino escreveu num pedaço de papel o nome da professora que o havia repreendido. Antes de dormir, pôs o pedaço de papel numa fenda que ele descobrira na parede, no porão de sua casa, e foi se deitar.

No dia seguinte a notícia: a professora havia sido atropelada no caminho para o trabalho. Falecera antes de chegar ao hospital.

O menino, então, escreveu em outro pedaço de papel o nome do colega que o perseguia na escola. Como fizera com o anterior, colocou este pedaço de papel na mesma fenda na parede antes de dormir.
 
Atacado por um cachorro na manhã seguinte, também o colega não resistiu.

Embriagado, assim, pelo poder de matar seus desafetos, nem percebeu o menino que os bilhetes foram se desdobrando, até saírem da fenda e caírem, abertos, no chão.
           
*

Quando a professora retornou, no meio da noite, para uma aula particular em seu quarto, o menino achou que ela agora falava de forma vagarosa. Também achou que ela cheirava a coisa morta.

Alguns instantes depois, também o colega viria entrar em seu quarto. Só que, desta vez, com brincadeiras mais cruéis.


 


quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Convite da editora

A Autografia tem um convite pra você. Parafraseando o Don Corleone de O Poderoso Chefão, "uma oferta que você não poderá recusar".



segunda-feira, 8 de agosto de 2016

O ADVERSÁRIO na Bienal de São Paulo


Agora publicado pela Editora Autografia, O ADVERSÁRIO estará ainda este mês na Bienal Internacional do Livro de São Paulo.  Estarei lá com o romance (que agora conta com capa nova e mais bonita, a cargo de Rebecca Frassetto), no dia 26/08/2016, entre 14 e 16h. Espero você.





segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Uma tarde para o terror

Foi uma grata surpresa o XI Encontro de Autores de Medo e Terror do RJ, realizado ontem no Castelinho do Flamengo. Um público mais numeroso, culto, interessante e divertido do que o esperado; a presença de um mestre dos quadrinhos, Allan Alex; e a profusão de bons bate-papos valeram a tarde. O Coletivo Casa do Medo, organizador do evento, está de parabéns. Que venham os próximos.


O castelinho.








Detalhes do interior.










Falando de terror.